O Penjing de Mario A G Leal

Dando continuidade as entrevistas de bonsaístas Brasileiros, publico aqui no blog o trabalho de um artista que se destaca pelas suas criações: as paisagens com bonsais.  Mario Leal se dedica a a criação do Penjing arte de origem Chinesa, que cria paisagens em miniatura em bandejas “Suibans”, aqui um pouco dos seus trabalhos. 

Criando pequenos mundos:

1 – Quando você se interessou e começou a se dedicar arte do Penjing ?

Acredito que por volta de 1995

2 – Quais espécies você mais gosta de trabalhar na elaboração de uma paisagem?

Realmente não tenho preferências por espécies mas por tamanho: pequenos. Na verdade algumas espécies são muito interessantes para trabalhar como: Serissas, Ulmus e pequenos Juníperos pela facilidade de serem encontrados.

3- Você faz algum tipo de desenho ou esboço do seu projeto antes de uma demonstração, ou da finalização de um penjing?

Não faço, não tenho aptidão para desenho. Meu trabalho acontece a medida em que vou mexendo com os materiais que tenho disponíveis.

4- Como você escolhe os elementos que farão parte da sua composição?

-Sempre procurei dar aos meus trabalhos alguma tropicalidade ou, melhor ainda, uma certa Brasilidade, então, dentro deste conceito procuro dar formas dentro destas especificações. Em certos momentos não temos muita escolha pois, dependendo do local onde estou, tenho que trabalhar com o material que, no momento, tenho as mãos.

5 – Que espécie você gostaria de trabalhar na sua região, mas as circustâncias de clima e adaptação não permitem ?

Pequenos pinheiros-negros.

6 – Dos seus trabalhos qual você destaca com um carinho especial. Me fale um pouco sobre ele.

Foi um trabalho realizado em Mandaguarí, ao iniciar me ocorreu a idéia de conseguir duas frentes o que não é muito comum. Sentí que havia conseguido e, isto me trouxe alguma satisfação.

7- Você segue alguma escola ou estilo nas suas criações?

Não, o fato de não ter tido um professor quando iniciei fez com que “batesse cabeça” por alguns anos e, neste meio do caminho fui me encontrando com as Paisagens de Bonsai. Já havia feito alguns quando, em 1998, tive a oportunidade de fazer um Workshop com Qingquan Zhao. Foi excelente conhecê-lo e ter a oportunidade de vê-lo trabalhando mas, naquele momento já havia escolhido a maneira de trabalhar minhas paisagens. Sempre com pequenas árvores onde procuro mostrar, de forma didática, a oportunidade para que qualquer pessoa sinta-se apta a criar o seu próprio.

8 – Você gosta mais de algum estílo de Penjing ou Bonsai em particular ?

Creio que todo trabalho bem feito é do meu agrado e, de todos, mas especificamente no bonsai, gosto dos mames e shohins.

9 – O que a arte do Penjing e do Bonsai agregou na sua vida ?

Definitivamente: VIDA

10 – Você acha que um Penjing deve seguir uma ordem rígida de técnicas e estética, ou deve seguir uma forma mais livre e artística ?

Certamente a liberdade criativa, quando usada com bom senso e observação fará com que consigamos bons trabalhos. Diria que o sentido de proporção e profundidade são pilares na criação de uma Paisagem de Bonsai independente dos materiais a serem usados.

11 – Que artista do Penjing e do Bonsai (um ou mais) chama a sua atenção, hoje no cenário mundial ?

Qingquan Zhao, é o artista mais reconhecido em todo o mundo na área das Paisagens de Bonsai. É certo que existem vários.

12- Hoje é mais fácil nos dedicarmos a criação de bonsai e penjing? Quais eram as maiores dificuldades no seu início?

Eram as informações, percebia que os que tinham conhecimento faziam em torno deste conhecimento um muro. Não havia muita literatura, revistas e a internet engatinhava. Hoje este cenário reverteu a favor dos interessados.

13- Qual a sua percepção, hoje, da arte do Penjing e do Bonsai no Brasil? Você acha que teve um crescimento? Há uma maior projeção dos nossos artistas no cenário mundial?

Com certeza, hoje em dia, a Arte do Bonsai brasileira é comentada e reconhecida. Nos falta ainda uma maior união dentro de nosso País, batalha esta pela qual tenho lutado deste o princípio criando meu site em 1997 e o Fórum desde 2004. Pessoalmente, iniciei as minhas aventuras internacionais pela Bolívia, a convite do Club Bonsai Bolívia, depois, em 2003, um convite da Bonsai Centrum Nitra repetido em 2010. Neste momento já estive em 8 países mostrando um pouco do meu trabalho. Temos outros bonsaístas que estão aparecendo no cenário mundial cada vez mais.

14 – Que conselhos você poderia dar para quem está começando a se dedicar na arte do Penjing.

Olhem trabalhos realizados para perceber detalhes de lajes (suiban), pedras, figuras e árvores utilizadas mas, olhem especialmente a própria Natureza. Nunca copiem, nem dos trabalhos vistos e nem da Natureza, usem apenas os detalhes fundamentais para o seu trabalho, isto se transformará em um exercício de criatividade. Busquem o seu caminho, a sua assinatura.

15- Quais atributos o bonsaísta deve ter para conseguir um bom resultado nos seus trabalhos ?

Paciência, em primeiro lugar depois, dedicação.

16- Quais os benefícios físicos, mentais que podemos encontrar nos dedicando a arte do bonsai?

Para os que gostam de Yamadori é um belo exercício físico agora, a terapia ocupacional proporcionada pelo Bonsai é um relaxante mental. Inigualável!

17 – Diga uma frase, um pensamento, que você ache que sintetiza nossa arte:

Depois de algum tempo trabalhando com as Paisagens de Bonsai, acredito ter encontrado uma definição adequada:

“Capturar uma paisagem e aprisioná-la em uma bandeja (suiban) com a sutileza de detalhes é, fundamentalmente, a Arte da PAISAGEM DE BONSAI. Para que isto aconteça temos que deixar que nossa imaginação flua, livremente, dentro da expectativa que a Natureza nos oferece. Neste momento, ousarmos como criadores de pequenas Naturezas.”

SOBRE O BONSAI

O tempo não faz de você um bonsaísta, é o seu interior que é ou não.

Mario leal tem dois livros publicados sobre Penjing e Bonsai, você pode comprar em livrarias especializadas e no seu site:

http://www.atelierdobonsai.com.br/

Gostaria de agradecer o pronto atendimento do Martio Leal ao meu pedido de entrevista. Um grande abraço e parabeens pelos trabalhos.

Paulo Netto

7 Respostas to “O Penjing de Mario A G Leal”

  1. Caro Paulo, obrigado pela oportunidade de mostrar meu trabalho em seu blog.
    Grande abraço

    Seu amigo no bonsai

    Mário A G Leal

  2. Vânia Fortes Says:

    Palavras simples, objetivas e enriquecedoras. Mário contagia. Grande abraço.

  3. Li com atenção sua entrevista, Mário Leal, e agradeço pelos ensinamentos que vêm de forma simples, mas consistentes. Pratico bonsai por prazer e há algum tempo a paisagem de bonsai tem me atraído e vou reunindo subsídios para a criação de um penjing. Seus trabalhos são inspiradores. Obrigado pela bela entrevista.
    Um abraço,
    Galdino

  4. Caro Galdino, sua observação me deixa feliz e é sempre agradável saber que mais um amigo se encanta com as Paisagens de Bonsai.
    Grande abraço

  5. Deolinda Lima Rezende Says:

    Fantástico sua arte, Mario!!! Parabéns.

  6. Mário A G Leal Says:

    Deolinda, é sempre bom saber!
    Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: