A mística do Dragão

Em fevereiro mandei para o Robert Steven, um dos mestres internacionais que mais respeito, uma foto do meu penjing “O caminho do Tori”. Queria aqui publicar as mudanças que fiz sob a sua orientação. Ele me ensinou um conceito chinês que eu usei de forma intuitiva em outros trabalhos, mas que nesse eu não apliquei. Buscando a simetria no trabalho,acabei me afastando dele:  “A mística do dragão só irá mostrar a sua cabeça e não a cauda”.

Foto encaminhada em fevereiro.

Eu retirei uma árvore do lado direito e o pequeno buxinho do lado esquerdo ao fundo para poder deslocar o Tori.

Crítica de Robert Steven feita em 15 de fevereiro de 2012.

Após a crítica recente sobre o agrupamento do Paulo Netto, especialmente sobre a colocação do Tori, ele me enviou uma nova foto com mudanças do agrupamento, com posicionamento diferente. O novo posicionamento mostrou grande melhora na perspectiva, bem como a composição geral. O espaço aberto na frente também mostrou uma configuração de primeiro plano muito melhor.

No entanto, ainda há alguns pontos que podem ser melhorados:

Um dos princípios muito importantes no Penjing é fazer que o panorama pareça com uma parte da paisagem natural, não um protótipo de um jardim do quintal. Assim, neste projeto, eu prefiro tirar a cerca de madeira.

Paulo Netto: A foto abaixo mostra as traves no trabalho. Elas ainda iam ser envelhecidas, mas eu não senti falta delas no conjunto. Eu substitui as traves por bromélias, para marcar a entrada do caminho.

Criar um caminho é sempre uma boa idéia em uma plantação em grupo, mas há um truque para fazer o caminho mais interessante, natural e para adicionar mais valor artístico a criação.

Em chinês, este conceito é muito importante e expresso como “Jian Shen Long Shou Bu Jian Wei” (A mística do dragão só irá mostrar a sua cabeça e não a cauda).

Este conceito aplica-se à formação de um caminho ou rio na paisagem bonsai. Nunca faça um caminho ou um rio em linha reta , Faça sempre em ziguezague, curvando-se para trás com seu ponto final escondido. Isto irá melhorar a perspectiva e criar um senso de mistério e uma ilusão de profundidade.

Olhando para a simulação, você pode ver que eu mudei o posicionamento do Tori. O escondi atrás das árvores. Isso melhora a perspectiva e da profundidade e sugere mais mistério. Além de tudo isso, todas as árvores devem ser refinadas para criar melhor ramificação.

Paulo Netto: Estudo mandado pelo Robert Steven sugerindo a mudança na posição do Tori.

Na foto abaixo o Penjing ” caminho do Tori” hoje, depois da mudança no posicionamento do Tori. Eu não posicionei o Tori do lado direito pois o caminho de pedras faz uma curva para a esquerda e do lado oposto eu não tinha como tirar ou mover uma das árvores principais.

Comentários gerais

Há mais do que uma maneira de projetar qualquer bonsai e minhas críticas e soluções recomendadas nem sempre se encaixam no seu gosto e preferências pessoais, mas eu sempre tento dar a minha opinião com base em princípios artísticos e hortícolas.

Antes:

Depois:

O que você achou da mudança? Por favor, deixe seu comentário, é sempre bom ouvir opiniões, mesmo de quem não faz bonsai ou penjing. A visão pura de quem apenas gosta da arte é muito importante. Abraço.

12 Respostas to “A mística do Dragão”

  1. Vânia Fortes Says:

    Paulo, seus trabalhos são sempre enriquecedores. Adoro seu jeito natural de tornar natural. Com o dedo de um mestre acrescentou mais naturalidade ainda e você ganhou, com certeza, com estes posicionamentos, mais experiencia, e o mais importante, dividiu com todos nós. Obrigada e continue nos proporcionando aprendizado. Grande beijo.

  2. Paulo,

    As mudanças sugeridas pelo mestre Robert Steven realmente surtiram efeito.

    O deslocamento do Tori para um fundo não percebido claramente, ficando escondido pela perspectiva deu realmente mais profundidade e um ar de mistério que só fez engrandecer o trabalho.

    Particularmente faria um trabalho de poda para tentar reduzir o tamanho das árvores um pouco, pois com a limpeza sugerida, as mesmas ficaram um pouco altas (pode ser o ângulo da foto) não equilibrando a perspectiva com a profundidade. Mas isso é minha opinião…

    Gosto dos meus trabalhos com árvores mais cheias… talvez pela influência direta da paisagem tropical – floresta – que temos no Brasil.

    A inversão para algo mais natural, retirando as toras por bromélias também ficou fantástico… conceito que foi muito bom aprender pois o levarei para trabalhos meus.

    Parabéns pelo Trabalho… como sempre, fantástico.

    Obrigado por compartilhar os ensinamentos. Sempre muito úteis.

    abs

  3. Valeu Bruno, muito bom ouvir um amigo. Obrigado por dividir sua opinião, isso sempre ajuda muito ! abração

  4. seu trabalho e´muito bom.sua arte no caso,tambem cultivo e sempre procuro ensinar e aprender,.essa arte tem que crescer .mais e mais.e no´s ,temos a responsabilidade de difundila´,cade vez mais.nao so´,com o desejo financeiro.mais pelo prazer da arte que nos deixa mais proximos de deus.obrigado.

  5. Obrigado por visitar o blog, um grande abraço, bom final de semana.

  6. Não tenho conhecimento algum sobre técnicas de cultivos, no entanto a imagem da serenidade da alma traduzidos em seus trabalhos é evidente para mim.
    Tenho uma fascinação imensa das paisagens criadas pela sensibilidade nata, pela capacidade de absolver as energias naturais e criar uma sincronia muitas vezes existentes apenas nas lembranças do espírito.
    A natureza é mãe graciosa em sua criação, poucos seres são capazes de absolvê-la com tanto amor e desvelo, sua obra e dedicação extraordinários, hoje, trouxe-me alento e a paz de que estava necessitando, espero ter a oportunidade de observá-los pessoalmente algum dia. Parabéns!
    Tomo a liberdade de compartilhar no mural do meu facebook o link do seu site.

  7. Oi Luciana muito obrigado pelas palavras, pode colocar, divulgar o link sem problemas! Se me procurar, eu estou no face também, abração.

  8. Paulo pesquisei no facebook e encontrei Aido Bonsai como grupo, fiz a solicitação de inclusão mas não sei se é o correto, o meu você encontra como Luciana De la Cruz. Um grande abraço.

  9. mudou pouco maas fez uma grande diferença

  10. orlando limo service

    A mística do Dragão | Aido Bonsai

  11. José Rocha Says:

    Caro Paulo, de forma impressionante, consigo ver 2 perspectivas entre o momento anterior e agora, Na configuração anterior, me sinto saindo da paisagem, indo embora, e olhando para trás, por cima do ombro. Na configuração seguinte, de fato, me sinto convidado a ir até o Tori. Ambas têm o que buscamos na hora de confeccionar toda paisagem, a comunicação com o observador. Parabéns.

  12. Obrigado por visitar o blog . abração

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: