Archive for the Bonsai – Sua historia Category

Curso AIDO BONSAI 2017

Posted in Aido Bonsai, Arte - Jardim Japonês, Bonsai - Bonsaistas do Brasil, Bonsai - Sua historia, Penjing Brasil with tags on 6 d e fevereiro d e 2017 by aidobonsai

a

Venha fazer um curso e aprenda os segredos da criação do Bonsai. As técnicas podem ser utilizadas em várias formas de paisagismo, e modelagem de jardins em suas casas. Se você mora em apartamento mas tem uma varanda, ou uma janela que receba um mínino de 2 / 3 horas de sol por dia, você pode cultivar essa arte milenar Chinesa.

A história do Bonsai – parte 2

Posted in Bonsai - Sua historia with tags , , on 22 d e maio d e 2009 by aidobonsai

O SURGIMENTO DO PENJING E DO BONSAI.

A DINASTIA TANG (séc VII-X)

Na história da China, depois de muitos acontecimentos, algumas referências nos fazem entender o quanto é difícil encontrar documentos que atestem com exatidão a prática do penjing na antiguidade.

É por isso que os mitos e lendas que foram transmitidos oralmente substituam, muitas vezes, os fatos históricos precisos. Por exemplo, no ano de 213 a.C o imperador Ts in ordenou a destruição de todos livros antigos, menos os que trataram de técnicas específicas: medicina, astronomia, agricultura e astronomia. Uma história curiosa sobre um soberano conta que, em uma viagem, Che Huang Ti foi surpreendido por uma tempestade e procurou abrigo numa floresta de pinheiros. Quando a tempestade passou, foi decretado que os pinheiros seriam considerados como altos dignatários.

Este episódio foi e é um tema utilizado frequentemente pela poesia e pintura chinesa e também na arte do penjing. À medida que chegamos aos tempos atuais, os documentos ficam mais numerosos e precisos, permitindo analisar a criação das paisagens e jardins.

Los Tang (618-907 d.C)

Quando, em 1971, se descobriu a tumba do Príncipe Changa An Xian  (que reinou de 645 d.C – 684 d.C), uma surpresa foi oferecida aos arqueólogos: ladrões tinham violado e roubado todos os pertences da tumba, mas não tinham conseguido levar as pinturas que adornavam as suas paredes. Estas pinturas representavam, pela primeira vez, uma série de paisagens com todas as características de uma composição clássica.

Artigo 2 - 2

Nas paredes da sala funerária existem 400 metros quadrados de afrescos mostrando a vida detalhada da pessoa enterrada. Em uma habitação, três servas carregam cada uma um penjing em suas mãos.

Algumas observações sobre essas pinturas:

1-         As cerâmicas são ovaladas, baixas e esmaltadas em amarelo.

2-         As árvores tem flores nas cores azul e roxo.

3-         Há uma pedra com musgo representando uma montanha no centro da composição.

4-         Podemos dizer que são as primeiras representações conhecidas de penjing (paisagem típica chinesa) .

5-         Outros desenhos mostram outras cerâmicas esmaltadas em verde, extremamente raras, com um agulheiro no centro.

A época Tang é um tempo de paz e estabilidade, e isso resultou numa explosão cultural extraordinária.

Cerâmica, pintura, poesia alcançam patamares inigualáveis; os imperadores protegem e potencializam as artes em todas as suas formas.

O taoísmo voltou como uma voz mágica e religiosa, extremamente difundido no palácio imperial; a representação da natureza  e o estudo de várias artes como o Feng Shui e o suiseki se desenvolvem. Neste sentido, jardins são construídos em terraços ou em áreas internas. Na hora do descanso vamos ao jardim, fechamos os olhos e os abrimos vendo uma linda paisagem. O penjing é o jardim que traduz perfeitamente o conceito de infinito dentro do pequeno finito. Um dos mais famosos pintores e poetas da época,  Wang Wei, deixou três poemas sobre o penjing.

 

Artigo 2 - 502

Penjing

A influência cultural no Japão:

A atração pela cultura chinesa era muito grande entre os estudantes, poetas, artistas, monges e comerciantes japoneses, que partiam para o continente em busca de conhecimento. No ano de 607 d.C. é estabelecida a primeira embaixada japonesa pelo imperador.

A partir desta data, um grande numero de livros e material artístico é levado para o Japão.

É possível que nestas muitas viagens o penjing tenha sido levado para o Japão, ou pelo menos a sua representação e sua forma de cultivo nos livros.  Em 869 d.C., um artigo sobre o cultivo de plantas em bandejas aparece em um livro “A História do Japão” (Nihon – Shoki). Os jardins descritos obedecem as leis geométricas e técnicas chinesas, mas com o gosto específico das espécies japonesas.

 

Artigo 2 - 3

Penjing com árvores modelas no estilo Fukinagashi (varridas pelo vento)

O pintor Koh Sen (903-965 d.C) retrata em um quadro uma rua chinesa onde se pode observar, em uma esquina, uma bandeja retangular com um penjing. No Japão, mesmo com o desenvolvimento de uma escrita própia (Katakana-Haragana), a cultura chinesa continua sendo dominante, mas as relações com o continente são quase inexistentes.

Penjing artigo 2Apenas os comerciantes abastecem de incensos, perfumes, pinturas, manuscritos e objetos de arte o mercado japonês.  Em um pergaminho pintado no séc. XI, que representa a volta do monge Sâicho (fundador da seita Tendai), vemos um bonsai no pátio interior de um templo, o que nos mostra que a plantação dos bonsais e penjings já era uma prática monástica habitual. Depois da restauração do império chinês, a relação oficial entre os países é reatada, e isto permite ao Japão alcançar o nível artístico da China na era Tang.

Penjing artigo 2 

 

                  

A História do Bonsai – Introdução

Posted in Bonsai - Sua historia with tags , , , on 1 d e maio d e 2009 by aidobonsai

A revista Pasión prima pela qualidade de suas matérias e muito me orgulha saber que, durante muito tempo, o diretor de redação foi um brasileiro, o grande mestre Carlos Tramujas. Vou traduzir para o blog uma das matérias mais completas sobre a história do bonsai, escrita para a revista Pasión pelo bonsaista Gilbert Labrid. É uma matéria bem completa escrita em seis capítulos:

1-Introdução à história do bonsai

2- Dinastia Tang (VII-X)

3- Dinastia Song (X-XIII)

4- Dinastia Ming

5- Dinastia Qing’y (período Edo)

6-  A idade moderna (XX)


INTRODUÇÃO A HISTÓRIA DO BONSAI

São muitos os que hoje em dia se apaixonam pela arte do bonsai e buscam criar obras que falem ao coração dos homens. Todos contribuem com sua paixão para o futuro desta arte tão singular, e graças a isso os homens têm conseguido transmitir seus conhecimentos para gerações futuras.

Somos o resultado  de muitas gerações e dinastias de indivíduos que foram, ao longo dos anos, transmitindo a sua paixão e amor através dos tempos. Graças a esta transmissão de conhecimento sem interrupção, o bonsai chegou a nós. Somos responsáveis e devemos perpetuar este conhecimento para o mundo moderno.

Quais as razões pelas quais o bonsai encanta as pessoas de todas as idades e várias culturas, apesar das dificuldades de sua criação e cuidados?

Será que o encanto que existe nas miniaturas ?  Para manter a força vital de uma árvore e seu desenvolvimento no espaço limitado de um vaso, há que se ter o sentido de responsabilidade e aprender numerosas técnicas de horticultura e botânica. Temos que aprender as teorias estéticas, as formas das árvores e sua posição estética no vaso, e principalmente esperar com paciência seu desenvolvimento e se dedicar a cuidados que irão durar por toda sua vida.

Quando cultivamos bonsai descobrimos que a dificuldade aumenta com o tempo e, ao invés de desistir, isto estimula o desejo de aprender. Será por isso que os japoneses consideram o bonsai uma fonte de juventude? Às vezes sentimos a necessidade de julgar as obras vistas nas exposições e livros especializados, o que é normal e apaixonante. Mas para aperfeiçoar nosso conhecimento do mundo do bonsai é essencial conhecer as técnicas, as formas que existem na natureza e seus mistérios, para expressá-los com uma visão pessoal.

Aprender a observar é o primeiro ponto importante. O segundo é compreender. Para aprender os segredos de uma arte os chineses falam:  “Temos que buscar a cultura lendo mil livros e fazendo uma busca de conhecimento que será infinita”. Essas são as duas etapas da busca do conhecimento estético: “conhecer e compreender”.

O bonsai é uma obra de pura contemplação, uma poesia sem palavras, um pintura em relevo; não é apenas uma técnica. Por isso é necessário aprender a história e conhecer a evolução do bonsai, para ver as decisões e direções que foram tomadas pelos nossos predecessores.

Compreendendo os seus motivos e sua maneira de observar a arte, aumentaremos nossa capacidade de construir e criar obras pessoais.

A expansão econômica do Japão nos anos 60 e 70 permitiram à cultura do país se expandir no mundo inteiro. Por razões históricas o país foi o principal instrumento de divulgação do bonsai no ocidente, principalmente por causa do isolamento cultural da China neste mesmo período. Isto contribuiu para que se criasse uma confusão sobre a origem do bonsai e sua apreciação estética.

Por falta de informação ou por conformismo, nós nos firmamos como ponto de encontro num modelo de bonsai japonês, sem compreender o sentido do Penjing, que é a arte do bonsai em chinês.

ANTIGUIDADE

Podemos dizer que o bonsai é uma flor que nasceu em um jardim da cultura chinesa. A aparição do bonsai está diretamente ligada às técnicas de cultivo de plantas em vasos. Os documentos antigos são raros, fragmentados e insuficientes para estabelecer uma cronologia precisa.

Em 1977 foi achado um fragmento de cerâmica nas escavações de Zhedjang. Este fragamento tinha gravado o desenho de um planta em um vaso. Este é o testemunho mais antigo da existência de cultivo “6.000 anos de idade”.

histo-ria-1

Leia todo conteúdo da matéria aqui:

Continue lendo