Arquivo para Espécies para bonsai

Pithecolobium tortum – Uma espécie do Brasil

Posted in Bonsai - Guia de espécies with tags , , , on 10 d e outubro d e 2009 by aidobonsai

dsc08924

Meu trabalho mais recente 20/08/2013.  ” A pedra do Mar”

dsc08985

Um tesouro para os bonsaítas brasileiros.

Das árvores Brasileiras com certeza o Pithecolobium é uma das bonitas espécies para o cultivo do Bonsai. Suas folhas possuem uma excelente proporção, e seu tronco se retorce em lindos movimentos. Esta espécie possui um crescimento grande de tronco, mesmo estando no vaso definitivo. Muito além da beleza, por se tratar de uma planta rústica, pode ser cultivada em todas as regiões do Brasil.

O1

Dois Pithecolobuuns no meu atelie, um numa fonte em primeiro plano e outro na minha bancada de trabalho.

Eu uso um substrato composto de 50% (caco de telha ou pedrisco) 20% de terra preta e 20 % de substrato floreira (usado em hortaliças e 10% areia de restinga. Eu uso esta mistura com fibalidade de tornar o solo com uma drenagem muito grande. O Pithecolobium não gosta de solo encharcado, suas folhas amarelam e seu crescimento fica muito debilitado.

dsc077611

Pithecolobium em vaso que modelei em concreto celular.

Esta espécie tem uma resistência e flexiblilidade  muito grande em seus galhos. Podemos realizar todos os estilos com está espécie, mas acho que o Chokan é o mais bonito, pois traz as características que ela possui na  beira do mar, nas restingas, assoladas pelos ventos.

dsc078271

Pedras e vaso em concreto celular.

Nome científico: Pithecolobium tortum

Nomes populares: Pithecolabium, jacaré, jurema e rosqueira .

Origem: Brasil: Porte: entre 7 m e 12 m de altura.

Folhas: compostas e formadas por numerosos folíolos, que variam entre 10 mm e 15 mm de comprimento por 3 mm a 5 mm de largura.

Flores: brancas e semelhantes a algodão. São formadas em outubro e novembro·

Tronco: canelada, de 30 cm a 50 cm de diâmetro, com aspecto muito ornamental pela forma e coloração· Solo: bem aerada e drenado.

DSC07188

Clima: desenvolve-se bem em qualquer região brasileira, mas prefere as temperaturas quentes e secas.

Luminosidade: pleno sol· Irrigação: abundante, porém sem encharcar o substrato.

Dificuldade de cultivo: apesar de ser uma planta muito rústica, não tolera encharcamento.

DSC01416

Multiplicação: por sementes, estaquia ou alporquia.

Curiosidades: durante a noite, as folhas se fecham e tornam a se abrir no raiar do dia. No Verão, é aconselhável a desfolha para melhorar a ramificação e diminuir o tamanho das folhas.

Essa é uma espécie que permite a criação de uma grande variação de estilos.  Desde o Ereto formar até o estilo de madeira morta. 

Substrato:   Para o pithecolobium eu uso 50% de caco de tijolo   /  20% De Condicionador de solo  /  20% de terra negra  / 10% de areia de restinga.

dsc075762

Pithecolobium. Não está no seu vaso definitivo.

Pithecolobium em fonte que modelei em 4 blocos de concreto celular.

2

Pithecolobium em fonte de água.

Ficus (Figueiras)

Posted in Bonsai - Guia de espécies with tags , , , , , , on 17 d e janeiro d e 2009 by aidobonsai

DSC02377

Acima Ficus Retusa plantado em pedra São Tomé.  Penjing Aido Bonsai

1- GÊNERO FICUS (Figueiras)

Nome popular – Ficus

Espécie- Ficus

Sub espécies – Retusa, Carica,Benjamina etc..

Família – Moráceas

Origem – Borneu ( Regiões Tropicais)

Temperatura Ideal – Calor

Vento – Suportam muito bem.

Vaporização – Somene em dias de calor, na sombra.

Crescimento – Muito rápido

Troca de terra – A cada dois anos dependendo do tamanho do vaso.

Tempo de permanência de arames – 01 há dois meses

Melhor época de aramação – entrada da primavera

Altura – 50 metros

Ficus benjamina

DSC03690

Este gênero de árvores possui um número entre 1200 há 1600 espécies. Sua estrutura de crescimento vai desde plantas rasteiras até árvores gigantes nas florestas tropicais. São árvores de folhas perenes e alternadas,mas existem algumas espécies de folhas caducas encontradas em regiões mais frias.As suas flores se encontram fechadas dentro de um sycono que é  que conhecemos como Figo. Todas as espécies produzem,mas algumas são monóicas (flores macho e fêmea na mesma árvore) e outras dióicas ( flores macho e fêmea em árvores diferentes ) neste caso é nescessário a polinização por vespas e abelhas.

Todas tem em comum a produção de latex, o Ficus elástica foi uzado muito tempo para extração de borracha.Uma outra característica de muitas espécies é a emissão de raizes aéreas.

Uma das espécies de Ficus o Bengalensis encontrado na India é usado entre rios para fazer estruturas de passagem entre as margens opostas. São unidas raízes aéreas (anastomosis)  elas se fundem permitindo estruturar e criar  pontes vivas. Suas ramas emitem raízes que se tornam colunas, pemitindo que os troncos não tenham ruptura. Na Índia existem árvores com 4.000 metros quadrados de ramificações. ( Ficus Retusa – acervo Aido Bonsai)

Ponte usando o Ficus na India

954694_497223470346253_1034833158_n

ÁRVORES ESTRANGULADORAS:

Um pássaro que comeu um figo pousa em uma copa de uma grande árvore, em seguida ele defeca as sementes de difícil digestão, as sementes germinam e suas raízes irão deslizar até tocarem no solo. Uma vez alcançado elas engrossam até estrangular totalmente a árvore hospedeira. Isto acontece pois a espécie precisa alcançar a luz do sol para conseguir a luminosidade nescessária para sobreviver.

Ficus  Benjamina 

Ficus

História da espécie:

Está espécie está relacionada diretamente com a história da humanidade. São achados figos petrificados desde o período cretáceo (70 – 130 milhões de anos) e sua origem é em Borneo. Todas as civilizações antigas fazem referência a esta árvore.

Astecas e Maias- Usavam a casca de ficus para fazer papel.

Gregos  e romanos -Como alimento e medicamento.

El Salvador – Árvore nacional do país

Birmania e Ceilão – Venerada como árvore religiosa.

Índia – Árvore sagrada onde Sidarta o Buda  sentou-se debaixo de sua sombra.,Conta os manuscritos que  durante seis anos ele  desenvolveu a sua filosofia.

África- Tribos constroem casas no topo das árvores para fugir de predadores.

Ficus retusa em 3 etapas de modelagem.  

Captura de Tela 2013-08-22 às 00.18.10.png

Ambiente e Luz.

Sem dúvida o Ficus é uma opção excelente para quem tem vontade de adquirir uma primeira árvore ou criar e modelar seu primeiro Bonsai. Resistente a todas as situações de interior, ainda que não seja as condições ideais para a espécie. Ele viverá bem perto de uma janela com sol.

1- Gosta da vaporização da copa.

2- É necessário muita ventilação.

3- O sol traz crescimento vigoroso, reduz a folhagem e diminui o espaço dos entrenós.

4- Na sombra irá aumentar o tamanho das folhas.

5- Em temperaturas abaixo de 10˚C, devemos protegê-la do vento frio.

Troncos foram trançados e unidos usando processo de ANASTOMOSIS. Foi usado 4 troncos de médio porte que se uniram totalmente após 9 anos.

DSC06804

REGA:

Embora paraeça obvio um Bonsai tem que ser regado apenas quando precisa. A frequência de radiação e temperatura ditará a evaporação da água o vaso. Cada região tem sua variação climática específica e deverão ser observados os seguintes pontos:

1- A árvore terá que ser regada quando o substrato estiver parcialmente seco.Podemos observar a coloração do substrato ou tocando a terra.

2- O excesso de água pode acarretar no apodrecimento das raízes.

3- Árvores que estão muito tempo sem poda de raízes, formarão um novelo de raízes que tendem a apodrecer com excesso de água. As raízes podem também obstruir as saídas de água do vaso, o que muito grave  se não percebemos.

4- Quando estiver no interior as regas serão mais espaçadas.

5- Em caso  de desfolhar a árvore ,as regas tem que diminuir até o aparecimento de novas folhas (brotos).

6- Depois de uma poda de raízes  o substrato vai demorar mais tempo para secar, pois a absorção de água pelo bonsai será reduzida.

7- Pode se regar o ficus se necessário por imersão, por aroximadamente 3 minutos.

8- A umidade constante no tronco favorece o surgimento de fungos.(Pó branco.

Penjing com Ficus retusa em pedra que modelei em concreto celular.

DSC05326

ADUBAÇÃO:

Como é uma árvore de crescimento muito vigoroso, como todo bonsai a adubação será primordial para que a planta tenha toda condição de chegar as características de uma árvore de grande porte. O Ficus apresenta um bom crescimento de estrutura de tronco mesmo no vaso. Colocado em um escorredor de macarrão, e este em cima de uma grande bacia com bom substrato terá um crescimento pleno.

1- Gosta de adubação sobretudo na primavera e verão.

2- Adubos indicados são os ricos em nitrogênio (N) podendo ser liquido vi foliar ou sólido na terra.

3 – Eu uso traços de N-P-K  (Nitrogênio/Fósforo/Potássio) na ordem de 10-10-10 para o ficus.

4- Uma vez por ano usar micronutrientes Ca-Mg-S-B (Cálcio/Magnésio/Enxofre/Boro).

5- O Ficus não gosta de terra calcária.

6- Pode se usar matéria orgânica, mas cuidado pois ela acumula muita água.

7- Nunca deixar de trocar a terra do ficus por mais de 3 anos.

8- No outono deve ser moderada.

9- Não gosta de adubação no inverno.

10- Eu uso nos meus ficus Nutri Bonsai, Osmocote e Bio Gold. Uso mais a adubção direta no vaso do que a foliar.

DSC05284

PODA RADICAL / ESTILIZAÇÃO:

Existem dois tipos de poda a de estilização da árvore a ser trabalhada e a de manutenção do estilo que foi escolhido pelo Bonsaísta. A melhor época para uma poda é a que permite uma rápida resposta da árvore. O ideal é o início da primavera,época que a árvore  desperta da sua dormência.

1- Na primavera a árvore terá mais facilidade de cicatrizar cortes maiores, e irá formar com mais facilidade os UROS (Buracos de coruja) provenientes de cortes com alicate côncavo no meio de troncos e galhos de médio porte.

2-O Ficus produz brotação até em madeiras muito velhas.

3- Embora alguns bonsaístas não usem cicatrizantes na poda do fícus, devido a produção de latex proporcionar uma boa cicatrização natural, eu acho que deve-se usar. Em todo corte de galhos é fundamental colocar cicatrizante pra evitar a entrada de parasítas. Hoje existe para compra vários cicatrizantes no Brasil, há 17 aos atrás, durante 3 anos eu fazia uma mistura de ( cola de madeira 20%  / cera de própolis 40% /unguento de pirson 40%).

4- O latex do Fícus Carica é caustico e em contato com a pele causa alergia cutânea e até queimaduras.

5- Manchas de latex não saem da roupa.

6- Usar ferramentas bem afiadas para executar cortes limpos é fundamental para uma cicatrização bem feita.

7- Nunca deixar caroços ou pontas nos troncos.

PODA DE MAMUTENÇÃO:

Poda de ramas terciárias, esta será efetuada ao longo de toda vida árvore.Com a poda de manutenção vamos equilibrar a força dos brotos, segurando os mais vigorosos e fortalecendo os mais fracos.

1-Podemos realizar ao longo de todas as estações.

2- Pode se retirar folhas e brotos indesejáveis com a ponta dos dedos.

TÉCNICA MEKIRI:

Deixaremos crescer o galho novo até que tenha 8 folhas ou mais. O Número de folhas deixadas, dará o tamanho do comprimento do galho.A direção da última folha será a direção de um novo galho.

TÉCNICA METSUMI:

Iremos arrancar com as pontas dos dedos as pontas tenras, deixando apenas um par de folhas.

Ficus variegata    

Ficus variegata