Arquivo para Xilogravura

A Divina Comédia de Dante Alighieri

Posted in Arte - Pintura e Desenho with tags , , , , , , , on 18 d e outubro d e 2009 by aidobonsai

Uma viajem pelo inferno e o purgatório pela visão de Dante Alighieri.

Desde os 10 anos eu pegava na biblioteca da minha avó o livro de Dante  Alighieri para olhar os incríveis desenhos de Gustavo Dorê. Como adorava rock, os demônios e as ilustrações das penas capitais chamavam mais a minha atenção. Não que o inferno seja mais interessante, os anjos eram legais também, mas os raios, o fogo e os tridentes combinavam mais com rock pesado (rss). Estou colocandoDante aqui todas as ilustrações com o seu texto original, traduzido por José Pedro Xavier Pinheiro para editora Calçadense, em 1956. Chamo a atenção para os desenhos a traço em xilogravura de Gustavo Dorê. A luz e a sombra de seus desenhos são inacreditáveis. A esta matéria, no futuro, será acrescentado a história e a vida destes dois artistas impressionantes. Vou colocar aqui todos os textos de narração, e os 139 desenhos  em sua ordem original. No futuro colocarei todo poema épico.

Vou postar todos os desenhos na ordem do livro que retrata a passagem de Virgílio pelo Inferno, Purgatório e o Paraíso. Esta é uma matéria dedicada à lembrança da minha avó Morella Viola Netto de Freitas, que amava pintura, desenho e especialmente este livro. Quando eu fazia algo errado, ou tirava notas baixas ela  citava na mesma hora: ” Ai de vós ó condenados, deixai aqui toda esperança” . 

Acompanhe Dante e Virgílio em sua trajetória e boa viajem.

Michelino_DanteAndHisPoem

A exploração de Dante do mundo espiritual mostrado em um exemplar da Divina Comédia: ao lado da entrada para o inferno, os sete terraços do Monte Purgatório e a cidade de Florença, com as esferas do Céu acima. Afresco de Michelino.

A Divina Comedia de Dante Alighieri

O poema chama-se “Comédia” não por ser engraçado mas porque termina bem (no Paraíso). Era esse o sentido original da palavra Comédia, em contraste com a Tragédia, que terminava, em princípio, mal para os personagens. Não há registro da data exata em que foi escrita, mas as opiniões mais reconhecidas asseguram que o Inferno pode ter sido composto entre 1304 e 1307-1308, o Purgatório de 1307-1308 a 1313-1314 e por último o Paraíso de 1313-1314 a 1321 (esta última data fecha com a morte de Dante). Dante escreveu a “Comédia” no seu dialeto local, ao criar um poema de estrutura épica e com propósitos filosóficos, Dante demonstrava que a língua toscana (muito aproximada do que hoje é conhecido como língua italiana, ou língua vulgar, em oposição ao latim, que se considerava como a língua apropriada para discursos mais sérios) era adequada para o mais elevado tipo de expressão, ao mesmo tempo que estabelecia o toscano como dialecto padrão para o italiano.

O início da jornada

Dante, perdido numa selva escura, erra nela tôda a noite. Saindo ao amanhecer, começa a subir por uma colina, quando lhe atravessam a passagem uma pantera, um leão e uma lôba, que o repelem para a selva. Aparece-lhe então a imagem de Virgílio, que o reanima e se oferece a tirá-lo de lá, fazendo-o passar pelo Inferno e pelo Purgatório. Beatriz, depois,o guiará ao Paraiso. Dante o segue.

DV-1

De nossa vida em meio da jornada, achei-me numa selva tenebrosa.

DV2

Não se afastava de ante mim a fera....

DV3

Que me investisse então cuido inquieto; Com fome e raiva atroz fronte levanta; Tremer parece o ar ao seu conspecto.

DV4

Respondeu, do meu pranto condoído; Te convém outra rota de hora avante?

DV5

Move-se o Vate então, após o sigo.

Entre e continue a viagem pelo inferno de Dante:

Continue lendo