Arquivo para O Tokonoma

Suiseki – Uma arte com 2000 mil anos de idade.

Posted in Arte - Suisekis with tags , , , , , , on 29 d e dezembro d e 2008 by aidobonsai

Suiseki são pedras formadas naturalmente pela natureza, admiradas por sua beleza e pelo poder de sugerir uma paisagem, pessoa, animal ou objeto.

A palavra Suiseki significa literalmente “Pedra de Água”  (Sui – água e Seki – pedra).

Esta arte se originou há dois mil anos atrás na China, onde pequenas pedras de grande beleza natural eram colocadas sobre “Suibans” – bandejas -representando montanhas lendárias e ilhas, associadas às crenças budistas e taoístas. Os Suisekis são expostos tradicionalmente em bases de madeira de lei (Jacarandá, Mogno, Cerejeira, Pinus Negro…), entalhadas exatamente no tamanho e contorno da pedra.A arte do Suiseki está diretamente ligada às pinturas clássicas de paisagens chinesas e japonesas.

Antes da era Meiji (1868-1912) outros nomes eram usados para descrever as paisagens de pedras: Bonzan, Chinseki, Kaiseki e Daiseki.

O PODER DE SUGESTÃO:
Escrevi o artigo sobre SUISEKI para o bloog  pois sou um apaixonado por Peijing (paisagem em miniatura) e acho que todo conhecimento técnico que envolve esta arte ajuda no aprimoramento da visualização e na utilização correta das pedras na hora de criar Bonsais ou fazer florestas – paisagens em bandejas (suibans).

A beleza de um Suiseki deriva em parte do poder que ele possui de sugestionar a visualização de uma paisagem.

Os fatores que ajudam esta visualização são os seguintes:

  • 1- Cores bem definidas A cor branca em um ponto alto de uma pedra pode dar a idéia da neve encontrada nas partes mais altas e frias da montanha. Um detalhe de coloração azul ou esverdeada pode transmitir a idéia de um grande rio que desce da montanha. Nas exposições os expositores molham as pedras para acentuar as suas cores.
  • 2- Equilíbrio – O equilíbrio é um dos fatores essenciais na beleza de um Suiseki. O colecionador deve olhar a pedra em todos os seus 6 ângulos: frente, parte traseira, lado esquerdo, lado direito, visão de cima e visão de baixo. A visualização da pedra como um todo é fundamental na hora de escolher a sua frente. Tudo deve ser observado: simetria, verticalidade, fendas, curvas, suavidade, movimento, quietude, luminosidade e reflexos. A pedra tem que estar estável, não pode passar a idéia de desiquilíbrio.
  • 3- WABI, SABI, SHIBUI Y  e YUGEN – Porém o tradicional encanto do Suiseki se expressa melhor no conceito do budismo zen, Wabi Sabi, uma série de conceitos estéticos japoneses considerados bem complexos. Estes conceitos  estão diretamente ligados à cerimônia do chá, à poesia Haiku (verso japonês de dezessete sílabas), à concepção na criação do jardin zen. A beleza na imperfeição, um jardim zen completamente limpo apenas com uma flor caída ao vento. Wabi pode significar melancólico, solitário, modesto, tranqüilo, calmo, quieto ou humilde. Wabi é um sentimento subjetivo evocado por uma paisagem que lembramos da nossa infância, uma cabana abandonada, uma praia solitária, uma árvore solitária no alto de uma colina. Sabi pode significar muito velho, sereno, tênue, suavizado, maduro, imutável ou grandioso.

OBS: Alguns estabelecimentos comerciais japoneses que vendem pedras para colecionadores utilizam uma variedade de métodos para valorizar e dar movimento estético às pedras, limando, cortando, queimando com ácido para alterar as cores das pedras. Isto foge completamente ao conceito inicial e milenar da arte. O colecionador pode ressaltar as cores com uma camada de verniz mate. Os puristas tem como opinião que isto se afasta e viola o espírito de Wabi, Sabi, Shibui e Yugen.

A pedra pode apenas ter sua base cortada para poder dar equilíbrio e sustentação, mas ele deve estar totalmente natural como foi encontrada na natureza.

Entre e conheça mais sobre esta arte e veja a galeria de fotografias:

Continue lendo