Arquivo para Suiseki

Kemin Hu – Scholar’s Rock Galleries

Posted in Arte - Suisekis with tags , , , on 29 d e abril d e 2010 by aidobonsai

Vejam que formas inacreditáveis que todos esses  suisekis tem. Scholars’ Rocks Exhibition and Sale at New York Asia Society.

Entre na galeria e veja mais esculturas naturais:

Continue lendo

Procurando pequenas Montanhas. (Suiseki)

Posted in Arte - Suisekis, Bonsai - Matérias especiais, Bonsai - Meus Trabalhos with tags , , , , on 25 d e abril d e 2009 by aidobonsai

Para falar da minha paixão por pedras tenho que descrever o mar e a montanha que estão em frente à minha casa. Neste momento em que escrevo para o blog estou ouvindo as grandes ondas do mar de Itaipuaçu (Maricá/Rio de Janeiro).

Mar de itaipuaçu

A praia de Itaipuaçu é separada da praia de Itacoatiara por uma montanha de 308 metros de altura,que entra 150 metros dentro do mar formando um lindo costão de pedras, nós chamamos a montanha de Pedra do Elefante (Alto Murão em carta geográfica),  nome dado pelos primeiros moradores e pescadores devido ao fato dela ter o rosto deitado de um elefante.

Pedra do Elefante.

Vale esta

Itaipuaçu possui uma das maiores ondas do Brasil; em algumas ressacas as ondas chegam a 8 metros e invadem a primeira linha de casas na beira da praia. Como não existem recifes de coral nem um lajeado alto, as ondas quebram na areia, não dando condições ideais para o surf. A 30 metros da praia temos uma profundidade media de 40 metros  e a 100 metros da praia a profundidade pode chegar a 95 metros. Pedras e conchas são jogadas na praia e são um presente para os amantes da natureza. Você pode sentar na areia em um dia de ressaca e ver o mar brincar com uma pedra como se ela não tivesse 200 quilos.

Mar 2O mar joga uma diversidade de pedras muito grande e sua formação pode ser de arenito, feldspato, minério de ferro, granito, poliquetas e quartzo, entre várias outras composições. O mar realmente transforma as pedras em esculturas retorcidas ou incrivelmente lisas. A existência de “terebros” e de alguns tipos de moluscos e gastrópodes, produzem buracos e cavidades nas pedras de formação de arenito.

Pedras recolhidas em um dia de ressaca.

pedra fechada

Eu tenho paixão pela arte de milenar chinesa de contemplar pedras (SUISEKI), cuja tradução é pedra de água, em japonês. São pedras que nos transmitem a beleza e a forma de montanhas, ilhas, escarpas, cavernas, figuras humanas, animais, etc.

Hoje, ouvindo o mar, tive a idéia de procurar pedras que tenham e transmitam a beleza de um suiseki, mas com uma condição: elas não poderão ter mais de 8cm de comprimento, e totalmente naturais sua forma, textura e cor, não podendo ser alteradas. Eu tenho pedras grandes no meu jardim com a beleza de suisekis, mas eu não tenho espaço para guardá-las e expô-las da maneira correta, em suas bandejas de madeira (DAIZA) moldadas no formato de suas bases, ou apenas como bandejas de apoio. Mas, com 8cm de comprimento, podemos ter vários suisekis em uma mesa ou prateleira, e a satisfação da procura será a mesma! Será um suiseki mame. Aqui no blog você pode ler uma matéria e ver fotos sobre todos os tipos de suiseki.

mar 4

(19/04) Hoje de manhã fui a praia procurar pedras com as características de suisekis, o mar mais uma vez foi generoso e peguei muitas pedras para Penjing (construção de paisagens ) e selecionei algumas lindas para as quais eu farei amanhã e na semana que vêm a base de madeira, que valoriza a forma do suiseki.

vale esta 2

Abaixo as etapas e o material usado para fazer os suisekis:

Para acertar e deixar reto a base das pedra escolhida, uso uma lixadeira de cinta de alta rotação. A lixa tem que ser de uma gramatura alta para desgastar e acertar as irregularidades da pedra.

dsc02926

dsc02930

Usei para fazer as Daizas dos suisekis três tipos de madeira Ipê, Balsa e Angelim. A Balsa de modelismo é a mais macia, e para trabalhos muito minuciosos (de até 4cm) é a melhor pois não racha com facilidade.

dsc02938

Para o corte das madeiras uso uma serra tico tico miniatura que foi presente do meu Pai ele a  usada para modelismo de Veleiros e Caravelas em miniatura.

dsc02952

Para escavar a base de madeira uso formões de entalhar madeira e uma retífica da Dreamel com várias pontas de funções diferentes.

dsc02931

dsc02962

As pedras são coladas com cola quente (acima de 5cm) e com Super Bonder Gel (menores 4cm). Está diferença é porque a cola quente ocupa muito volume e aparece muito, nos trabalhos pequenos.

dsc02958

Para escurecer a madeira usei Viochene negro e marrom. Uso também uma base de altomotivo preto para dar um efeito de laqueado.

(25/04) Eu fiquei muito feliz com o resultado, acho um exercício de visualização da natureza maravilhoso. Na próxima vez que você tiver caminhando não só na praia mas perto de um leito de  rio, numa restinga, atravessando uma estrada de terra, uma floresta, quem sabe você não encontra uma pequena montanha para guardar na palma da mão.

dsc03036

dsc03024

dsc03025

dsc02969

dsc02984

dsc02990

dsc02991

 

dsc02997

Entre na galeria e veja mais Suisekis miniatura:

Continue lendo

Suiseki – Uma arte com 2000 mil anos de idade.

Posted in Arte - Suisekis with tags , , , , , , on 29 d e dezembro d e 2008 by aidobonsai

Suiseki são pedras formadas naturalmente pela natureza, admiradas por sua beleza e pelo poder de sugerir uma paisagem, pessoa, animal ou objeto.

A palavra Suiseki significa literalmente “Pedra de Água”  (Sui – água e Seki – pedra).

Esta arte se originou há dois mil anos atrás na China, onde pequenas pedras de grande beleza natural eram colocadas sobre “Suibans” – bandejas -representando montanhas lendárias e ilhas, associadas às crenças budistas e taoístas. Os Suisekis são expostos tradicionalmente em bases de madeira de lei (Jacarandá, Mogno, Cerejeira, Pinus Negro…), entalhadas exatamente no tamanho e contorno da pedra.A arte do Suiseki está diretamente ligada às pinturas clássicas de paisagens chinesas e japonesas.

Antes da era Meiji (1868-1912) outros nomes eram usados para descrever as paisagens de pedras: Bonzan, Chinseki, Kaiseki e Daiseki.

O PODER DE SUGESTÃO:
Escrevi o artigo sobre SUISEKI para o bloog  pois sou um apaixonado por Peijing (paisagem em miniatura) e acho que todo conhecimento técnico que envolve esta arte ajuda no aprimoramento da visualização e na utilização correta das pedras na hora de criar Bonsais ou fazer florestas – paisagens em bandejas (suibans).

A beleza de um Suiseki deriva em parte do poder que ele possui de sugestionar a visualização de uma paisagem.

Os fatores que ajudam esta visualização são os seguintes:

  • 1- Cores bem definidas A cor branca em um ponto alto de uma pedra pode dar a idéia da neve encontrada nas partes mais altas e frias da montanha. Um detalhe de coloração azul ou esverdeada pode transmitir a idéia de um grande rio que desce da montanha. Nas exposições os expositores molham as pedras para acentuar as suas cores.
  • 2- Equilíbrio – O equilíbrio é um dos fatores essenciais na beleza de um Suiseki. O colecionador deve olhar a pedra em todos os seus 6 ângulos: frente, parte traseira, lado esquerdo, lado direito, visão de cima e visão de baixo. A visualização da pedra como um todo é fundamental na hora de escolher a sua frente. Tudo deve ser observado: simetria, verticalidade, fendas, curvas, suavidade, movimento, quietude, luminosidade e reflexos. A pedra tem que estar estável, não pode passar a idéia de desiquilíbrio.
  • 3- WABI, SABI, SHIBUI Y  e YUGEN – Porém o tradicional encanto do Suiseki se expressa melhor no conceito do budismo zen, Wabi Sabi, uma série de conceitos estéticos japoneses considerados bem complexos. Estes conceitos  estão diretamente ligados à cerimônia do chá, à poesia Haiku (verso japonês de dezessete sílabas), à concepção na criação do jardin zen. A beleza na imperfeição, um jardim zen completamente limpo apenas com uma flor caída ao vento. Wabi pode significar melancólico, solitário, modesto, tranqüilo, calmo, quieto ou humilde. Wabi é um sentimento subjetivo evocado por uma paisagem que lembramos da nossa infância, uma cabana abandonada, uma praia solitária, uma árvore solitária no alto de uma colina. Sabi pode significar muito velho, sereno, tênue, suavizado, maduro, imutável ou grandioso.

OBS: Alguns estabelecimentos comerciais japoneses que vendem pedras para colecionadores utilizam uma variedade de métodos para valorizar e dar movimento estético às pedras, limando, cortando, queimando com ácido para alterar as cores das pedras. Isto foge completamente ao conceito inicial e milenar da arte. O colecionador pode ressaltar as cores com uma camada de verniz mate. Os puristas tem como opinião que isto se afasta e viola o espírito de Wabi, Sabi, Shibui e Yugen.

A pedra pode apenas ter sua base cortada para poder dar equilíbrio e sustentação, mas ele deve estar totalmente natural como foi encontrada na natureza.

Entre e conheça mais sobre esta arte e veja a galeria de fotografias:

Continue lendo