Arquivo para Zen garden

Aido – Caminho da harmonia.

Posted in Arte - Jardim Japonês with tags , , , , , , , , , on 12 d e abril d e 2009 by aidobonsai

Os caminhos tradicionais de pedra ocupam um lugar especial na estrutura do jardim japonês. Existem três tipos de caminhos que são os mais importantes usados no paisagismo.

pedras5

Nobedan

É uma alameda construída com pedras na forma retangular, quadrada ou redonda.  A caracterîstica principal é a distancia entre as pedras que tem que ser bem pequena.

pedras-211

Tobi ishi

As pedras são dispostas na distância do passo humano. Podem ter várias formas.

pedras-30031

Ararekoboshi

É construída com pedras naturais de formas e tamanhos diferentes.

pedras-30011

Entre e veja a galeria ou o slideshow com mais fotos:

Continue lendo

Ishidoro – Lanternas Japonêsas

Posted in Arte - Jardim Japonês with tags , , , , , , on 11 d e abril d e 2009 by aidobonsai

346659284_d7d15b5e5d

A lanterna japonesa é sem dúvida um dos elementos principais nos jardins orientais, e o mais conhecido e usado na decoração por arquitetos no ocidente. Ishidoro tem suas origens na iluminação dos caminhos que levavam aos templos Budistas, a luz tinha a função religiosa de tranquilizar os espíritos inquietos durante a noite. Com a aparição da cerimônia do chá, as lanternas foram usadas na iluminação dos Tsukubai (água da purificação) nos jardins Chaniwa te. As mais belas lanternas japonesas foram criadas na era Kamakura.

Chaniwa-te são jardins criados especificamente como base para o recebimento de convidados para a cerimônia do chá.

lanterna-12

Partes da lanterna japonêsa

Ikekomi–gata (laternas enterradas)

Neste tipo de lanterna a característica principal é que o pedestal principal fica enterrado diretamente no chão. São muito usadas nos jardins destinados a cerimônia do chá, fazendo a iluminação dos caminhos de pedra e do tsukubai (recipiente da água da purificação).

42-16266761

Tachi-gata (lanternas com pedestal)

Esta é a lanterna usada nos jardins de grande porte nos monastérios, palácios e jardins públicos. Seu tamanho varia de 1 há 3 metros de altura. Ela proporciona uma luz natural e que se espalha pelo ambiente. As tachi- gata de grande porte devido ao problema de espaço e custo muito alto, só são usadas em residências com jardins muito grandes.

picture342

Oki-gata (lanternas pequenas)

Estas pequenas lanternas são usadas em grandes áreas para pontuar os caminhos, e valorizar vegetação e pedras.

lanternas-902

Yukimi-gata (lanternas da neve)

Esta é a lanterna mais conhecida no ocidente, ela recebe esta forma devido a função de iluminar nas intempéries do tempo, principalmente a neve. É o tipo que tem o maior numero de formas. Podem ser esculpidas em pedras rústicas ou confeccionadas em concreto e cerâmica. A iluminação dentro da lanterna (casa de luz) que no passado era natural proveniente de lamparinas e velas, hoje em dia são substituídas por lâmpadas elétricas.

snowlanternweb1

Entre na galeria ou veja o slideshow com várias formas de lanternas japonêsas:

Continue lendo

O Jardim Zen

Posted in Arte - Jardim Japonês with tags , , , , , , , , , on 7 d e abril d e 2009 by aidobonsai

Ryogen – Kyoto Garden Japão

kyoto-garden-v-04932

Muitos são os aspectos e as regras que envolvem a criação e filosofia  de um jardim japonês. Por isso criei esta categoria aqui no blog e, aos poucos, irei acrescentando informações sobre cada elemento que compõe a sua estrutura e sua explicação estética e filosófica.

No projeto de um jardim zen, um dos elementos básicos na sua criação é não poder se observar o trabalho da mão humana, “do jardineiro”. O jardim tem que parecer um ecossistema intocado, como uma floresta com vegetação distante que nunca foi modificada pelo homem.

Templo de Kenji

templo-de-kenji1

Este conceito é muito útil aos bonsaístas, pois modelar uma árvore como se ela tivessse crescido no seu ambiente natural sem intervenção externa nenhuma, como aquela árvore que cresce isolada no meio do campo, harmoniosa em toda sua forma, é um dos objetivos de um bonsaistas.

Chineses já criavam jardins em ambientes fechados há 1700 anos atrás. Desenhos de bandejas grandes com pedras formando paisagens já eram encontradas em 700 a.C.

O homem sempre tentou reproduzir a natureza e trazer seus elementos para perto da sua casa.

O JARDIM DE PEDRAS  “KARESANSUI”

No ocidente este estilo de jardim ficou conhecido com o nome de “Jardim Zen”. Os jardins de pedras são muito apreciados no Japão e são usados para meditação nos monastérios budistas e como decoração nas casas tradicionais. Neste estilo de jardim a areia branca representa o mar; as pedras são ilhas ou arquipélagos e representam a beleza das pequenas e altas montanhas. Esse estilo de jardim é frequentemente concebido de modo a imitar a varredura de uma vasta paisagem dentro de um espaço muito limitado.

kyoto-garden-v-0423

A escolha das pedras é fundamental. Elas tem que ser colocadas em número ímpar e decrecesnte, e sua forma deve ser estudada. Pedras que serão colocadas próximas ou coladas devem se encaixar visualmente e devemos ter a sensação de que, como antigos continentes, elas se dividiram e se afastaram ao longo dos tempos. As  pedras são divididas em cinco grupos constituídos de cinco, dois, três, dois e três pedras. As 15 pedras existentes no jardim estão espalhadas de maneira que o observador só possa ver 14 delas por vez a partir de qualquer ângulo em que se olhe.

kyoto-garden-v-0703

Musgo pode ser colocado em volta das pedras acentuando a visualização de uma ilha com uma alta montanha. Com um ancinho de madeira, cuja distância entre os dentes pode variar de acordo com a gramatura da areia ou do cascalho utilizado, desenhos e formas são feitos em volta ou ao londo das pedras imitando o movimento  da água.

kyoto-garden-v-0753

Um dos mais belos jardins do Japão foi construido e idealizado por Muou Soseki (1275-1351), mestre que idealizou jardins zen para 74 templos no Japão.

À este famoso mestre zen, cujo nome verdadeiro era Muou Soseki, é creditado a construção de 66 jardins zens em templos em todo o Japão, entre eles os doss templo de Kamaura e Saihoji em Kyoto.

Entre na galeria ou veja o slideshow do Jardin Zen, com as incríveis fotos de Frantisek Staud:

Continue lendo