Archive for the Bonsai – Matérias especiais Category

Ferramentas para Bonsai e Penjing.

Posted in Bonsai - Ferramentas-Utilização, Bonsai - Matérias especiais with tags , , , , , on 5 d e março d e 2013 by aidobonsai

Leia a matéria, com a música que é o som ambiente do meu espaço há 22 anos. “Cantos Naturais”

 

Para quem quer começar na arte do bonsai, penjing ou mesmo fazer esculturas com concreto celular, aqui vai um conselho: não compre ferramentas caras no início; improvisar ensina muito, pois adaptar com o que temos à mão em casa é muito recompensador. Depois de alguns meses de iniciar o trabalho de bonsai e ter certeza que quer realmente se dedicar a esta arte, aí é a hora de comprar. A satisfação de comprar as ferramentas especializadas será muito maior, e terá outro sentido.

A planta, sim, é importante no início do aprendizado! Escolher e investir numa bonita muda, com boa formação e começar com uma espécie resistente é muito importante.

Quando eu comecei em 1990 não tinha acesso à ferramentas especializadas para bonsaístas. Usei uma tesoura de poda de jardim para podar raízes e uma tesoura comum de poda de folhagem. Usava uma torquês bem afiada de marcenaria para cortes rentes ao tronco. Agora, uma ferramenta nunca mudou e também é a mais barata de todas: almoçamos em um restaurante japonês e pegamos os hashis (talheres de bambu).

Minhas ferramentas em 1990: 1- Hashi  2- Hashi improvisado 3- Ancinho improvisado 4- Canivete 5- Faca Olfa 6- Vassoura 7- Tesoura de poda grande 8- Tesoura de poda pequena 9-Tesoura 10- Alicate 11- Torquês

A primeira ferramenta:

A primeira ferramenta especializada de bonsai que eu comprei em 1994 foi o alicate de corte côncavo chamado Kobokiri. Esta ferramenta possui um corte muito específico e não temos como improvisar com outra ferramenta o seu corte em um movimento limpo e preciso. Ele penetra no tronco deixando um buraco, que facilita a cicatrização e formação de um Uro, também conhecido como buraco de coruja.  No mesmo ano comprei duas tesouras de poda e o alicate de corte de arame.

Hoje em dia, com a experiência, talvez tivesse comprado o alicate de corte de arame primeiro, pois na tentativa de tirar os arames com outros alicates, às vezes machucava os galhos. E na tentativa de desenrolar o arame de cobre ao invés de cortar, quebrei muitos galhos delicados. Eu só comecei a usar o arame de alumínio, que é muito mais macio, em 1990.

Minhas ferramentas em 1994: 1- Hashi  2- Hashi improvisado 3- Ancinho improvisado 4- Canivete 5- Faca Olfa 6- Vassoura 7- Tesoura de poda grande 8- Tesoura de poda pequena 9-Sentei basami (tesoura de poda) 10- Tesoura de poda aguda 11- Hariganekiri (alicate de corte) 12- Kobokiri alicate côncavo

Minhas ferramentas em 1995/1996: 1- Hashi  2- Hashi improvisado 3- Kumade ancinho  4- Pinça para desfolhar (improvisado) 5- Sentei basami (tesoura de poda) 6- Tesoura de poda aguda  7- Kuikiri (alicate de corte ângular) 8- Alicate de corte curvo 9- alicate de corte reto 10- Hariganekiri (alicate de corte) 11- Kobokiri alicate côncavo

Hoje, um conjunto de ferramentas especializadas está muito mais barato e você já pode comprar as ferramentas dentro da sua nescessidade em separado. Aqui no blog você tem listado os links de vários fornecedores de produtos de bonsai. As ferramentas de aço carbono japonêsas são mais caras, mas são feitas para durar uma vida se utilizadas da forma correta. O importante é fazer sua manutencão. Aqui vão algumas dicas de quem, antes de ter ferramentas de bonsai, já tinha uma katana e uma tati japonesa de aço carbono.

Como manter suas ferramentas por longo tempo:

1- Nunca guarde suas ferramentas após um dia de trabalho sem limpar.

2- Limpar não é tirar a terra grossa que fica aparente nas ferramentas.

3- O maior inimigo é invisível, são as suas gigitais com gordura. O aço carbono oxida em contato com o nosso suor e com a gordura contida nos dedos.

4- Liquído desingripante como WD pode ser utilizado, mas deve ser retirado imediantamente com pano seco.

5- Deve-se passar e deixar uma camada fina de óleo mineral para evitar oxidação.

6- Não use, pela praticidade de estar na mão, a ferramenta para uma função para a qual ela não foi destinada.

Exemplos:

a) Algumas sentei basami (tesoura de poda) de bonsai podem cortar arames grossos como manteiga, mas isso cega e cria microdentes nas tesouras.

b) Deixar uma tesoura apenas para poda de raízes mantem o gume das outras tesouras de poda afiadas por muito mais tempo. As diferenças nas texturas das raízes cegam muito as tesouras. Elas têm que ser constantemente afiadas.

c) Use o alicate especializado de arame apenas para retiradas de amarrações nos galhos e troncos. Para fazer travas de tela e cortar no tamanho de trabalho, use um alicate de corte convencional.

7- Guarde as ferramentas em uma caixa com tampa com feltro ou borracha no fundo. Isto diminui a umidade.

8- Cubra as ferramentas com outro feltro ou pano grosso.

9- Não coloque ferramentas uma sobre as outras.

10- Guarde em lugares sem ou com pouca umidade.

Caixa de ferramentas especializadas para Bonsai e Penjing. Quando a caixa é fechada as ferramentas são cobertas com outro feltro para diminuir a humidade.

Bandeja com ferramentas auxiliares.

A função de cada ferramenta de Bonsai e Penjing:

Tesouras:

Tesouras para Bonsai e Penjing: 1- Pinça 2- Tesoura de corte pesado 3- Tesoura aguda 4- Tesoura de corte pesado  5 à 8- Sentei basami

Sentei basami. Tesoura usada para poda de galhos e raízes. Se você tiver a condição de manter uma tesoura apenas para poda de raízes, manterá o gume das outras tesouras afiadas por mais tempo. Das minhas tesouras de trabalho, as de poda de raízes são as que mais têm que ser afiadas constantemente.

Tesoura de poda para galhos e raízes grossas.

A Sentei basami pode ser encontrada em muitos tamanhos diferentes.

Tesoura da Tramontina criada para cortadores de uva (laranja) e tesoura chinesa que comprei em uma loja de pesca (vermelha). São baratas e de ótima qualidade. Queria que elas já estivessem no mercado em 1990.

Tesoura para desfolhar. Suas lâminas são aguçadas e vão se afilando nas pontas. Podem ser usadas para galhos, rebentos e pendúculos. As extremidades finas permitem que cortes complexos sejam feitos com precisão. Estas tesouras são encontradas em 3 tamanhos.

Mekiri basami. Tesoura longa para manutenção e poda de folhas dentro de copas densas.Eu improvisei esta ferramenta comprando uma tesoura cirúrgica. Uma banca na feira de antiguidades que acontece todo sábado na  praça XV vende para colecionadores ferramentas hospitalares antigas. O aço é de muita qualidade e seu fio também.

Hakiri. Esta pinça serve para desfolhar copas delicadas. Esta ferramenta dá muita velocidade e permite cortes repetidos e rápidos. É a ferramenta que eu mais uso na poda da copa das minha Eugenias.

Pode se utilizar uma tesoura de costura da tramontina. Ela é feita em aço e é muito resistente.

Tesoura de poda fina, ela é retrátil é muito boa para podas longas e de demoradas. Uso muito esta tesoura em Ulmus, Eugênias e Carmonas.

Alicates:

sentei basami,Ferramentas para Bonsai, Bonsai tools, aido bonsai,tramontina

Alicates para Bonsai e Penjing: 1- Yattoko 2-Kobokiri pequeno 3- Kobokiri grande 4- Kuikiri médio 5- Kuikiri grande 6- Alicate curvo 7-Alicate de corte reto 8- Hariganekiri

Kobukiri. Alicate de corte côncavo. Este alicate produz um buraco côncavo, raso, que com o tempo produz um Uro ou buraco de coruja. Na minha opinião, a primeira ferramenta especializada que deve ser adquirida.

Cortes já cicatrizados com sua forma de lábio.

Uros em árvore santigas na natureza.

Alicate de corte reto. Usada para galhos e raízes grossas. Esta ferramenta chega a ter uma presão de 1000 quilos em seu ponto de contato. Você pode encontrar em 5 tamanhos. Esta é uma ferramenta que tem variação grande na largura da sua lâmina.

Kuikiri. Alicate de corte angular. Uma das ferramentas mais úteis para se cortar com destreza rente e nas bifurcações do tronco.

Hariganekiri. Alicate de cortar arames rentes ao tronco. Esta ferramenta possui muito fio pela sua alavanca e corta com facilidade arames de até 5 milímetros. Este alicate, pela sua forma arredondada na ponta, não danifica a casca da árvore.

Alicate de grande porte para cortar arames com mais de 5mm de espessura de cobre, alunínio e aço.

Yattoko. Alicate de Jim. Possuem mandíbulas delicadas e servem para retirar cascas de árvores na criação de um  Jim. Também usadas para manusear arames.

Ferramentas auxiliares:

Kama. Usada para desenvasar o bonsai. Ela ajuda a soltar árvore das laterais do vaso. Esta ferramenta é uma pequena foice e pode ser encontrada desde a grande usada nos capos nas colheitas de arroz até estar com 15cm de comprimento.

Kumade. Esse pequeno ancinho é um escarificador de terra e raízes. O lado oposto ao garfo é usado  para ajudar a desenvasar o bonsai.

Pode se improvisar um Kumade com um Pequeno garfo de churrasco. É só virar suas pontas em um torno.

Nokogiri. Pequeno serrote dobrável. Foi projetado com serras e lâminas finas para não esgarçar a casca do galho. Encontrado em 2 tamanhos. Dependendo do tamanho do tronco e dos galhos a serem cortados, podemos usar todos os serrotes usados em jardinagem.

Hashis, são os tradicionais talheres japoneses. Estes pequenos palitos de bambú são usados para compactação de terra nos espaços das raízes e fazer perfurações no vaso para colocar adubos externos. Podem ajudar também a desenvasar o bonsai. Eu gosto de um que fiz afiando a ponta de um  apanhador de mel, ele dá um apoio para o dedo indicador muito bom. Achei uma vez muito barato 2 pinças em aço. Uma delas eu separei fazendo 2 Hashis que jea duram 15 anos. Os palitos para prender cabelo chineses também servem como Hashis maravilhosos.

Pinça. Usada para retirar insetos daninhos. Para Penjing eu uso um pequeno martelo para quebrar pedras e para plantar pedras escolhidas no vaso. este modelo retrátil tem canivete, espátula e lixa. Lojas de aquário costumam vender pinças importadas de tamanho grande. Elas são usadas para plantar vegetação no fundo do aquário. Elas tem de 15 à 30cm e são excelentes.

Abaixo desenrolador de raízes. Este garfo é usado para soltar e desembaraçar as raízes dos bonsais na hora de uma troca de vaso ou na criacão de um novo trabalho, como mudas compradas em florálias. Uma ferramenta muito usada em Penjing para retirar musgo de paredes e pedras é a espátula de pedreiro .

Ferramentas auxiliares: 1- Faca de pesca (muito fio) 2- Garfo desenrolador de raízes 3- Kama (pequena foice) 4- Kama quadrada da tramontina 5- Formão 6 e 7- Espátulas de pedreiro

A vassourinha é muito usada para limpeza de nebari, retirar folhas, varrer pequenos jardins. Eu faço as minhas com piaçava, pinceis baratos e desfazendo brochas grandes de pintura para call.

Caixa com estiletes. Uso para acabamento em jim e Sharis. São encontradas em loja de modelismo e papelarias especializadas em materiais de artesanato.

Caixa grande

Caixa pequena

Tela para drenagem de água. Essa tela é usada no fundo do vaso de bonsai, fixada com uma trava feita arame de cobre, para que não se mova. Esta tela fica entre o vaso e uma camada de pedrisco, para que a água tenha um bom escoamento e não se  retenha no fundo do vaso.

São encontradas em lojas especializadas em artigos de borracha, agronomia e jardinagem. Eu compro em lojas de 1,99 por 1 real; na verdade, é um mata mosquitos com a haste cortada. Elas são rígidas e podem ser cortadas em vários tamanhos e reaproveitadas. Você pode usar a  haste que sobra como hachi, e quem vende plantas pode usar  como base para colocar etiquetas de preço das plantas.

Apanhador e misturador de terra.

Máquinas de rotação para modelar madeira, pedras e concreto celular:

Retíficas:

As retíficas da Dremel e Makita, entre outras marcas, são usadas para modelar e dar formas à madeira morta. Existem centenas de pontas diferentes para serem usadas, cada qual com uma função específica.

A Dremel é uma retífica que pode ser comprada de 10.000 à 35.000 rotações por minuto. Usadas em modelismo e artesanato, possuem centenas de opções de pontas diferentes. Suas hastes são normalmente de 2 e 3 milímetros. Sua ponta é ajustável e agora existe um acessório que permite pegar pontas maiores de 6mm. É uma máquina de rotação variável e pode se utilizar um cabo extensor. Este cabo permite o uso da máquina como uma caneta, o que a deixa muito confortável e melhor para trabalhos que nescessitem de detalhe. Acho a melhor opção para quem quer trabalhar com bonsais pequenos (mame e shohin).

A Makita é uma retífica de uso profissional de 25.000 rotações por minuto, e usa pontas maiores com hastes suporte de 6 mm. Ela tem o inconveniente de não ter a velocidade regulável. Sua velocidade é plena o tempo todo. Tem que se tomar muito cuidado e obrigatoriamente utilizar óculos de proteção e luvas, se tiver utilizando as pontas “disco de escova”. As pontas de aço voam com o atrito e podem atingir os olhos, o que é muito perigoso. A Makita é a maquina obrigatória para quem trabalha com bonsais de grande porte, estilo madeira morta.

Modelagem de concreto celular:

Para a criação de montanhas e pedras para os meus penjings, eu utilizo o concreto celular, também chamado de cimento aerado. Para dar formas orgânicas no concreto celular, as pontas redondas da Makita são ideais. A alta rotação desenha o concreto com rapidez e leveza, mas levanta uma poeira muito fina. É obrigatório o uso de óculos e máscara de respiração. Pode se molhar o concreto, o que não deixa a poeira levantar e não muda o trabalho. De qualquer maneira, o ideal é trabalhar em áreas externas. Se alguém quiser trabalhar em casa, meu conselho é usar as ferramentas tradicionais, que estão na fotografia abaixo:

Ferramentas para modelar o concreto celular: 1- Escova de aço 2- Grosa de dente grande 3- Grosa de dente pequeno 4- Grosa de dente grande 5- Formão 6- Formão fino  7 à 13 – Entalhadeiras 14 e 15- Grosas finas 16- Serrote para concreto celular (dentes grandes)

Existe um serrote de dentes largos especialmente feito para serrar o concreto celular; ele é usado para diminuir o tamanho dos blocos (n˚16 da foto). Eu também uso uma serra ticotico para fazer cortes retos e abrir cavidades, principalmente quando quero fazer vasos para bonsai.

A resposta da natureza 1

Posted in Bonsai - Matérias especiais, Bonsai - Seus estilos with tags , , , , , , , on 2 d e março d e 2013 by aidobonsai

Árvore com mais de 700 anos 

Veja as fotografias, com a música que é o som ambiente do meu espaço há 22 anos. “Cantos Naturais”

Árvore solitária na montanha

           

A RESPOSTA DA NATUREZA 

 Na natureza árvores assumem várias formas e se moldam as dificuldades climáticas e geológicas para poderem sobreviver. Os estílos de Bonsais reproduzem estas características impostas pela natureza, e o Bonsaísta deve tentar recriar em sua árvore todos esses fatores. 

A seguir os fatores que levam as árvores a se modificar e adaptar, e fotografias das árvores em seu ambiente natural:

VENTOS na natureza árvores com todos os seus galhos voltados em uma única direção, não oferecendo resistência aos fortes ventos. Os fortes ventos fazem com que as árvores tenham que realinhar seus galhos para poder aereodinamizar e favorecer a conservação de umidade em suas folhas. Encontramos

NEVE- os galhos voltados para baixo é diferente da forma que os  pinheiros assumem plantados em países de clima mais tropical e teA cada inverno a temperatura e o peso da neve faz com que os galhos das árvores não retornem à sua posição original.

 A visão da árvore de natal ( Pinheiro ) em países frios com mperado. 

SOLO-  O solo pobre de nutrientes, possuindo excesso de salinidade ou com caracteríticas de alta porosidade, limita o crescimento das raízes e faz com que as árvores cresçam de forma muito lenta. 

ALTITUDE-Quanto maior for a altitude do local de crescimento de uma  árvore, menor será o seu porte. Isto ocorre devido ao ar rarefeito e à saturação de raios ultravioleta. 

CHUVA- A falta de umidade reduz o tamanho das árvores e faz com que os troncos se retorçam com mais facilidade. Existem árvores nos EUA, especialmente na Califórnia com centenas de anos de idade mas com poucos centímetros de altura.

Neste local na Califórnia chove apenas 5 semanas em todo o ano. 

ACIDENTES GEOGRÁFICOS- Uma semente pode ser levada para uma fenda nas rochas de uma montanha pelo vento, pelas chuvas ou por fezes de pássaros ou outros animais pequenos. A árvore se adaptará e crescerá emitindo raízes para poder se susentar e se segurar nas rochas. 

SOL- As altas temperaturas e o sol acima de 40ºC, diminuem o tamanho das folhas. Quanto mais nescessidade de captação de luz do sol, maior se torna a folhagem das árvores e plantas.

paesaggi-landscapes14

paesaggi-landscapes61

roots_1280_jmh1laetw

Para vêr mais fotos de árvores na natureza clique ao lado:
Continue lendo

A RESPOSTA DA NATUREZA 2

Posted in Bonsai - Estilos galeria, Bonsai - Matérias especiais, Bonsai - Seus estilos with tags , on 2 d e março d e 2013 by aidobonsai

Sempre que eu tenho tempo, navego na internet procurando fotografias de árvores modeladas pela natureza. É a melhor referência para ajudar a entender os estilos clássicos e não clássicos de bonsai.

37265_408861247524_82869747524_4974467_8070591_n

Acho que essas fotos ajudam a dar caminhos visuais diferentes quando estamos modelando um novo trabalho.  Podemos observar como elas reagem as várias condições de clima, altitude, chuva, solo, vento, neve etc..

Leia também a primeira parte da matéria onde descrevo todas as ações climáticas:    https://aidobonsai.com/2008/12/13/a-resposta-da-natureza/

Aqui mais  uma galeria de fotografias com árvores em seus ambientes naturais.

563823_412432375508100_1333525887_n

Imagem1.png

560243_266461363483793_1008034703_n

2702357790_cd5dba5404_o

38669_416881312524_82869747524_5196477_2907422_n

382107_303213239783866_1226105921_n

Imagem7.png

540210_400195000043659_118687242_n

710992_10151389106504564_923733989_n

575303_391349610923327_651183024_n

Entre na galeria e veja mais fotografias de árvores na natureza:

Continue lendo

Projetos da Si Diao Bonsai Taiwan – 2

Posted in Bonsai - Matérias especiais, Bonsai - Taiwan with tags , , , , on 5 d e fevereiro d e 2013 by aidobonsai

Segunda parte da matéria com mais trabalhos da Si Diao Bonsai Taiwan.

trabalho 7      LIN CHI CHANG

Lin,Shih-Chang

01F

02D

02F

04B

_________________________________________________________________________________________

Trabalho 8      LIN CHI HISUNG

Lin,Chih-Hsiung

01F

02D

02F

05L

04B

07R

07R

08R

Veja todos os projetos, entre na galeria:

Continue lendo

Um Artista de Fujiam – Penjing

Posted in Bonsai - Matérias especiais, Bonsai - Meus Trabalhos, Bonsai - Penjing e Yose ue with tags , on 21 d e novembro d e 2012 by aidobonsai

Leia a matéria, com a música que é o som ambiente do meu espaço há 22 anos. “Cantos Naturais”

Em junho deste ano comecei a criação de uma peça para compor as fotografias de mini Bonsais com tamanhos entre  4cm e 10cm de altura.  Pesquisando fotografias de lojas de artistas Chineses e de Taiwan, tive a idéia de fazer uma pequena loja Chinesa na proporção 20 x 1.

Me imaginei caminhando pelo interior da China e passando por um artista com uma loja na beira de uma estrada, onde além de bonsais, são vendidos vários produtos para uma população local.

Aqui o passo a passo do trabalho que chamei    “Um artista de Fujiam”

1- Para a confecção da base da loja usei apenas maçaranduba. Depois de tratada com Jimo cupim e betume, poderei deixar no tempo que não irá apodrecer.

2- O fundo da loja é uma peça maciça de 25cm x 30cm de altura.  Com um formão, entalhei na madeira da parede (fundo) a profundidade das tábuas corridas

3-  Aqui as duas primeiras fotos que tirei com alguns elementos para visualizar a proporção. Nesta foto ainda não tinha feito o chão, nem o telhado da loja.

4- O telhado, escolhi fazer de uma forma tradicional chinesa, eles usam bambu gigante. Escolhi um bambu bem reto na proporção 20 x 1 e cortei 50 telhas, para compor o telhado.

5- Para cortar eu uso uma serra tico tico miniatura da Dremel. Não pode se colocar força no corte, pois o bambu perde a casca e lasca com facilidade.

6- As telhas se encaixam intercaladas.

7- As telhas vão entrar sobre 3 vigas que irão sustentar todo telhado. As vigas já foram cortadas com a inclinação e caimento escolhidos.

8- As telhas serão sustentadas por 10 vigas de bambu que irão entrar unindo as traves.

9- As telhas vão sendo coladas uma a uma.

10- Aqui o telhado pronto, antes de invernizar.

11- Para o piso da loja uso uma madeira de 45cm x 35cm.  Faço os cortes horizontais, para imitar tábuas corridas,  uso retifica dreamel e formão.

12- As laterais são comidas com a retífica, para dar um aspecto de desgaste do tempo. Depois eu aumento os cortes, e dou mais sombra queimando com  pirógrafo.

13- Aqui já a base pronta, com uma mesa feita em maçaranduba.  A mesa tem 6cm x 6cm.

14- Aqui uma peça em metal que vai entrar no acabamento do telhado. A arquitetura Chinesa é muito cheia de detalhes, com muitos nichos e altares religiosos, eles são usados para proteção das casas e comércio.

15- Peça já colada  na sua posição final.

16- Fazendo uma pequena mesa de trabalho.

17- Mesa já com perfuração para os pés.

18- Mesa já colada.

19- Vassoura de limpeza. Tamanho 1cm, feita com pelo de pincel.

21- Mesa com elementos.

20- Primeira sessão de fotografias com mais elementos. Agosto / 2012

21- Segunda sessão de fotografias.  Agosto / 2012

22- Alguns elementos de cerâmica nas prateleiras da loja.  Aqui 4 peças dadas de presente pelo meu amigo Charles White. (pequenos templos e agricultor).

23- Quarta sessão de fotografias tiradas em Início de setembro / 2012

24- Fotografias com todos elementos.  Outubro / 2012.

25- O conjunto possui 159 elementos entre mini bonsais, vasos, ferramentas, lanternas, katanas, porcelanas, suisekis, panelas, etc…  Tudo na proporção 20 x 1.

26-  O conjunto todo da loja, fica guardado montado, mas sem os bonsais. Reservei um lugar em uma das bancadas onde ela se encaixa, quando chega alguma visita eu coloco os bonsais.  Ela pode ficar na chuva ? Pode sem problemas, o trabalho maior é limpar da poeira, cada vaso, cada ferramenta, quando fica ao ar livre por mais de 7 dias.

27- O que eu gostei no resultado final desse  trabalho, é que cada vez que eu monto a loja, ela fica completamente diferente.  Os elementos que não são fixos, mesas, vasos maiores, bonsais, o própio artista, podem ser deslocados, criando várias perspectivas diferentes nas fotos.

28- Sessão de fotos em 19 de setembro de 2012.  No fundo quadro pintado pela minha irmã a artista plástica, Deborah Netto.  O sol na borda do quadro é real, coloquei o conjunto na perspectiva e ângulo onde o sol se põe na minha casa, esperei ele morrer na borda da pintura e fotografei.

Últimas fotografias tiradas em 23 de agosto de 2013.  É muito bom ter deixado os elementos básicos da loja soltos, pois cada vez que eu monto a loja, ela fica completamente diferente , não tem como ficar igual.

DSC09555

Estou sempre procurando elementos para a loja e variando o posicionamento deles na hora de fotografar. Mês passado meus amigos Fernando Ramos e Luiza Vieira me deram de presente miniaturas de estátuas, compradas no Vietnam, exatamente na proporção 20X1, um presente sem igual.

DSC09573

DSC09563

DSC09557

DSC09578

Fotografias tiradas pelo meu irmão Nikolas Ramos.

64430_4565495354459_1295923821_n

1000573_4566947110752_848967243_n

Entre na galeria e veja mais fotos do trabalho:  “Um Artista de Fujiam”

Continue lendo

Esculturas naturais

Posted in Bonsai - Matérias especiais, Fotografia - Galerias with tags , on 17 d e junho d e 2012 by aidobonsai

Sempre que  quero buscar inspiração para modelar ou olhar formas naturais para os bonsais, procuro fotografias de florestas e árvores antigas. Colocar uma música e olhar as fotos em slide show, me mostra porque árvores são esculturas  naturais

Entre na galeria e veja mais 90 fotografias de árvores incríveis:

Continue lendo

Fractais e Bonsai

Posted in Bonsai - Matérias especiais, Curiosidades with tags , , , , , , on 18 d e outubro d e 2011 by aidobonsai

Uma  jornada pela dimensão oculta.

Pode-se encontrá-lo nas florestas, nos avanços de pesquisas médicas, nos filmes e em todo o mundo da comunicação wireless. Um dos maiores segredos de designs da natureza. Ele tem um formato estranho sobre o qual não ouvimos nada, mas está em todo lugar à nossa volta. Esta forma é chamada fractal. 

Árvore representando um crescimento fractal.

Os fractais estão em toda biologia e é a estrutura que a seleção natural criou repetidamente na natureza. Os fractais estão em nossos pulmões, vasos sanguíneos, árvores, flores, montanhas, nuvens, galáxias, sistemas climáticos e até no ritmo do coração que é a essência da vida. A chave da geometria fractal  escapou a todos até que o seu descobridor, o matemático Benoit Manbelbrot, dissesse: “ Esta é a maneira de se olhar para as coisas que estão a nossa volta”.

Se você olha para a superfície vê complexidade, e parece, em um olhar superficial, não ser matemático. O que Mandelbrot disse foi: “pensar não no que se vê, mas no que foi necessário para criar o que está se vendo”. Na criação da natureza é necessária a repetição infinita e isso traz uma das características que definem um fractal, o que os matemáticos chamam de autossemelhança.

Antes de falar de Fractais e Bonsai, vou começar a matéria com um foco diferente, explicando como o fractal foi usado na minha área de trabalho, que é a direção de cena e o cinema.

Os Fractais e a computação gráfica no cinema.

Os mesmo princípio de design de fractais transformaram completamente a mágica dos efeitos especiais. Em 1978, na Boeing Aicraft em Seatle, engenheiros projetavam aviões e entre eles estava Loren Carpenter, hoje um dos diretores de animação da Pixar Animation Studios. Ele estava ajudando a visualizar como aviões ficam durante o voo usando computação gráfica na elaboração de paisagens 3D.

Ele queria colocar os aviões com montanhas no fundo, pois toda publicidade da Boeings tinha uma grande montanha atrás. Na época ele não tinha como, pois uma montanha têm milhões e milhões de pequenos triângulos ou polígonos, e eles já tinham problemas de cálculo usando apenas algumas centenas e não tendo um resultado natural no seu visual. Loren não queria fazer uma montanha qualquer, ele queria fazer uma paisagem pela qual aviões pudessem realmente voar. Mas não havia como fazer isso com as técnicas de animação existentes.

Mas Loren Carpenter encontrou, em 1978, um livro que mudaria sua vida, o trabalho publicado de Benoit Mandelbrot: “ Objetos Fractais, Formas, Acaso e Dimensão” . O livro tratava de formas fractais na natureza. Em seu livro, Manbelbrot dizia que muitas formas na natureza podem ser descritas matematicamente como fractais: uma palavra que ele inventou para definir formas que pareciam, denteadas e quebradas. Ele dizia que se pode criar um fractal pegando uma figura e partindo-a em pedaços, repetidas vezes. Carpenter decidiu que tentaria fazer isso em seu computador. Em 3 dias ele estava produzindo imagens de montanhas em seu computador. Ele estava usando a repetição infinita, o que os matemáticos chamam de interação, que é uma das chaves da geometria fractal. A superfície de uma montanha pode ser modelada num computador usando uma fractal: começamos com um triângulo no espaço 3D; acham-se os pontos centrais das 3 linhas que formam o triângulo e criam-se 4 novos triângulos a partir desse triângulo. Deslocam-se depois aleatoriamente esses pontos centrais para cima ou para baixo dentro de uma gama de valores estabelecidos. Vai-se repetindo o mesmo procedimento, mas fazendo os deslocamentos dos pontos centrais dentro de uma gama de valores que em cada interação é igual à metade da anterior.

Com os fractais Carpenter abriu a porta para um novo mundo de criação de imagens em computação gráfica e saiu da Boing para trabalhar na Lucasfilm onde, em vez de fazer montanhas, criou um novo planeta para o filme “Jornada nas estrelas II, A Ira de Khan”. Foi a primeira sequência criada por computador em um filme futurista.

Bonsai e os fractais na natureza.

Quando estamos modelando um bonsai após definir um estilo, buscamos na nossa lembrança  formas, texturas, padrões que tornem a estrutura do bonsai a representação em miniatura de uma árvore de grande porte. Para que um bonsai tenha as características de uma árvore milenar, muitas regras e conceitos tem que ser observados, e uma dessas regras são os fractais.

Abaixo um trabalho com Pithecolobium tortum. Procuro sempre buscar com a aramação as ondulações e bifucarções de forma natural. Esta é uma espécie que na restinga retorce muito seus galhos e os troncos. Na foto acima uma árvore de espécie diferente em silhueta, mas com o mesmo padrão de movimento. Você vai ver à frente que isto é uma característica fractal.

 Para cultivar um bonsai é necessário compreender como uma árvore cresce, como ela ao longo dos anos assume sua forma na naturza. O crescimento em espiral das folhas segue uma regra matemática. O crescimento e ramificações dos galhos também. Esses padrões que criam harmonia e beleza são os  fractais.

Clique em leia mais e siga lendo toda matéria sobre os fractais:

Continue lendo